Canal:
QUALIDADE DE VIDA

 


RIBEIRÃO PRETO DIVULGA NÚMERO DE LEITOS EM HOSPITAIS PÚBLICOS E PRIVADOS
 
 . REGIS

    
Os leitos na cidade ocupados representam 27,8% em UTI e 17,5% em enfermarias
             

  


A Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto divulgação nesta sexta-feira (30), o número de leitos disponível, tanto na rede pública, como na rede particular na cidade. Segundo o levantamento do Sistem Covid19, da Secretaria de Estado (DRS XIII), Ribeirão Preto possuía, na última quinta-feira (29), 108 leitos CTI para pacientes com Covid, sendo que, destes, 27,8% estavam ocupados.

Os leitos para enfermaria eram 166 no total, sendo que, daqueles, 17,5% estavam ocupados.

Veja o quadro:


Números de Leitos - Reprodução

 

Resumo evolução do coronavírus em Ribeirão Preto
Ribeirão Preto termina o mês de abril com 282 casos confirmados e um óbito por covid-19: a taxa de letalidade é de 2,5%

Mais oito moradores de Ribeirão Preto foram diagnosticados com o novo coronavírus e a cidade já soma 282 pacientes de covid-19. Nesta quinta-feira, 30 de abril, a Secretaria Municipal da Saúde ainda aguardava o resultado de 352 exames que estão represados nos laboratórios. Apesar de o Instituto Adolfo Lutz ter zerado a fila da testagem na semana passada, segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, os diagnósticos ainda não foram enviados aos municípios do interior.

A propagação da covid-19 no município em abril chega a 500%. No dia 1º, a Secretaria Municipal da Saúde havia diagnosticado 47 pessoas com coronavírus. São 235 a mais, média de quase oito novos casos por dia. Ribeirão Preto também tinha uma morte confirmada e hoje são sete óbitos, seis a mais, um a cada cinco dias.

Já foram descartadas 852 suspeitas. Dentre os 17 mil exames pendentes no Instituto Adolfo Lutz estavam os de Ribeirão Preto. A cidade também já tem sete mortes por causa covid-19 e a taxa de letalidade, considerando o número de óbitos em relação ao total de infecções, segue em 2,5%, bem abaixo dos índices mundial (7,1%), nacional (6%) e estadual (8,3%).

As vítimas fatais são cinco homens (71,4%), de 36 anos, 73, 76 e 87 anos, e duas mulheres (28,6%), de 70 e 89 anos de idades. Seis tinham alguma comorbidade como doença cardiovascular, crônica, diabetes, pneumopatia, doença neurológica crônica, imunodeficiência e doença renal crônica. Apenas o homem de 76 anos não tinha doença autoimune.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a cidade já recebeu 1.486 notificações de supostas ocorrências da covid-19. Os dados foram divulgados no Boletim Epidemiológico, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde.

A incidência de mortes da covid-19 em Ribeirão Preto é de uma por 100 mil habitantes habitantes, enquanto na capital paulista a taxa é de onze. A cidade tem 17,6% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados com pacientes de covid-19.

Segundo o prefeito Duarte Nogueira Júnior (PSDB), Ribeirão Preto tem uma taxa de desocupação dos leitos de UTI destinados exclusivamente ao tratamento da doença de aproximadamente 75%, o que traz uma margem de segurança para a população.

O secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini, ressalta que o credenciamento do laboratório do Supera Parque de Inovação e Tecnologia pelo Instituto Adolfo Lutz para testes de covid-19 vai ajudar a ampliar a testagem de moradores com sintomas. Além das pessoas com quadro de síndrome respiratória aguda grave (Srag), principal indicador da doença, aqueles que tiverem sinais de síndrome gripal, como coriza e febre baixa, também serão testados para o novo coronavírus.

Segundo Scarpelini, que também é superintendente do parque teconlógico, a cada 100 pacientes testados com gripe, 10% são diagnosticados com covid-19. Por dia, o Supera Parque tem capacidade para processar 120 exames. O resultado é conhecido em até 48 horas, segundo Marcos Santos, coordenador do projeto.

O Polo Novo Coronavírus (Covid-19) atendeu em abril, primeiro mês de funcionamento, na Unidade de Pronto Atendimento Doutor Luis Atílio Losi Viana, a UPA da Treze de Maio, no Jardim Paulista, Zona Leste de Ribeirão Preto, 1.633 pessoas com Srag. Quatro tendas foram montadas para atendimento dos casos suspeitos de coronavírus, causador da covid-19.

Dos 1.633 pacientes, 1.411 apresentaram quadro leve (86,4%), o estado de saúde de outros 148 era moderado (9,06%) e a situação era grave para 74 pessoas (4,54%). Ontem, seis pessoas passaram pelo local, cinco apresentaram quadro leve e uma, moderado.

Ribeirão Preto já tem 71 casos confirmados se síndrome respiratória aguda grave (Srag), segundo o Boletim Epidemiológico, mas 60 são de Sars-Cov-2 (coronavírus) – 27 de março e 34 deste mês. Os outros dez são de influenza: cinco de Flu B, três não identificados (“Srag A não subtipado”), um de H3N2 e um de H1N1.

Quatro destes casos resultaram em mortes, um pelo vírus H3N2, outro pelo Flu B e dois não identificados (“não subtipado”). Em 2020, a Secretaria da Saúde recebeu 404 notificações de Srag. No ano passado inteiro foram 273, contra 346 de 2018. Ribeirão Preto fechou 2019 com 13 mortes por Srag. Foram sete óbitos por H1N1, quatro por H3N2 e dois não subtipados. Em pouco mais de cinco anos, Ribeirão Preto acumula 59 óbitos por Srag.


01/05/2020 - Revide
Foto:  Equipe MDA