Canal:
QUALIDADE DE VIDA

 


CASOS DE DENGUE EM RIBEIRÃO PRETO PASSAM DE 12 MIL
 
 . REGIS

    
Apesar da redução do número de casos em abril, em 2020, já ocorreram 4 mortes por dengue na cidade, sendo um importado, e há 8 óbitos em investigação
    
             

  


Desde o dia 1º de janeiro e até quarta-feira, 29 de abril, Ribeirão Preto já somava 12.179 casos confirmados de dengue e a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) investiga mais 21.569 pacientes que podem estar com a doença – aguarda o resultado de exames, segundo o Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde. A média de pessoas diagnosticadas com o vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti em quatro meses é de 101 por dia, quatro por hora.

Ribeirão Preto já declarou epidemia de dengue, a sexta em onze anos – a população não tem colaborado eliminando os potenciais criadouros do Aedes aegypti e os casos aumentam a cada dia. O secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini, afirma que o trabalho de combate e prevenção à doença na cidade está sendo feito sem trégua, com arrastões de limpeza semanais e intensificação das ações diárias, mesmo com a pandemia de coronavírus.

As equipes de agentes de Combate a Endemias estão nas ruas em campanhas de conscientização, treinamentos de equipes e nebulização. Oitenta por cento dos casos estão nas casas das pessoas e a conscientização da população é fundamental. Cada morador deve cuidar do seu quintal, eliminando focos de água parada para que o mosquito não se desenvolva.

Dos 12.179 casos confirmados até agora, 2.854 são de janeiro, 5.612 de fevereiro, 3.194 de março e 519 de abril. No mesmo mês de 2019 foram 4.222, queda de 87,7%, ou 3.703 e menos. O número de vítimas do Aedes aegypti em 120 dias deste ano está 69,3% acima das 7.193 pessoas infectadas no primeiro quadrimestre do exercício anterior, acréscimo de 4.986, e já representa 84,4% do total de 2019 inteiro (14.421).

Em 2019, três pessoas morreram em Ribeirão Preto vítimas de dengue hemorrágica – não registrava óbito em decorrência da infecção desde 2016, quando nove pacientes não resistiram aos vírus transmitidos pelo Aedes aegypti. Em 2020, já ocorreram quatro mortes na cidade, mas um caso é importado de São Simão – o atendimento ocorreu na metrópole. Segundo o boletim, oito óbitos ainda estão sob investigação e aguardam o resultado de exames.

Neste ano, a maioria das vítimas do mosquito tem entre 20 e 39 anos (4.339). Depois aparecem os adultos de 40 a 59 anos (3.003), jovens de dez a 19 anos (1.961), idosos com mais de 60 anos (1.434), crianças de 5 a 9 anos (847), de um a quatro anos (467) e menores de um ano (128). Em 2020, os casos de dengue foram registrados nas regiões Leste (2.887), Oeste (2.887), Norte (2.655), Sul (2.482), Central (1.262) e seis não têm identificação de distrito.

Chikungunya
Ribeirão Preto não tem casos de chikungunya, zika vírus e febre amarela neste ano, mas tem três de sarampo confirmados e investiga mais três – onze já foram descartados –, segundo o Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal da Saúde.


06/05/2020 - Tribuna Ribeirão
Foto: 
Divulgação