Canal:
QUALIDADE DE VIDA

 


MORTES DIÁRIAS POR COVID-19 NA ESPANHA CAEM PARA 179
 
 . REGIS

    
Trata-se do segundo menor número de novos casos em um dia nesta fase de declínio da curva epidemiológica — em 3 de maio, foram 465 registros

                  

  



O número de mortes por covid-19 nas últimas 24 horas foi de 179 na Espanha, 50 a menos que no dia anterior, chegando a 26.478 no total desde o início da epidemia, informou neste sábado (9) o Ministério da Saúde do país. 

As infecções confirmadas pelos testes de PCR (na fase aguda da doença) também caíram, para 604 casos por dia (491 a menos do que no dia anterior), o que significa um total de 223.578 infectados. Destes, 47.481 são profissionais de saúde.

Trata-se do segundo menor número de novos casos em um dia nesta fase de declínio da curva epidemiológica — em 3 de maio, foram 465 registros.

O país já teve 9.181 novos casos de covid-19 confirmados em um único dia, no auge da epidemia, em 26 de março.

Com um lockdown rigoroso, a Espanha — segundo país mais afetado pela pandemia no mundo — conseguiu o distanciamento social suficiente para desacelerar a transmissibilidade do coronavírus em todo o país.

Desde 1º de abril, a taxa de reprodução do vírus está abaixo de 1, o que é positivo. Em março, esse índice era superior a 4, o que representa que uma pessoa infectada transmitia o vírus para outras 4, na média.

Após esse resultado, o país começou a flexibilizar as regras de isolamento social em determinadas regiões. 

Os curados sobem para 133.952, sendo contabilizados 2.804 nas últimas 24 horas.

Segundo dados oficiais, 489 casos exigiram hospitalização (132 na região de Madri e 79 na região da Catalunha) entre quinta-feira e sexta-feira, enquanto as novas internações em terapia intensiva foram 70.

Os maiores números de óbitos nas últimas 24 horas na Espanha ocorreram nas regiões de Madri (46), Catalunha (36) e Castilla-La Mancha (25). 

A evolução de novos casos é "muito favorável", destacou em entrevista coletiva o porta-voz do Ministério da Saúde, Fernando Simón, que novamente pediu, no entanto, cautela. 


09/05/2020 - R7
Foto: 
Divulgação