Canal:
QUALIDADE DE VIDA

 


PREFEITO DE RIBEIRÃO EXPLICA ‘PLANO SÃO PAULO’ PARA RETOMADA DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS
  . REGIS1

    
Retomada consciente foi anunciada nesta quarta-feira (27) pelo governador do Estado de São Paulo; região de Ribeirão Preto está classificada na fase dois  

                  

  


Em reunião por videoconferência com os prefeitos da Região Metropolitana de Ribeirão Preto, o prefeito Duarte Nogueira explicou o Plano São Paulo, que prevê a retomada consciente das atividades econômicas, divulgado pelo governador João Doria nesta quarta-feira (27). De acordo com os levantamentos do Governo do Estado de São Paulo, os municípios foram divididos de acordo com as Diretorias Regionais de Saúde (DRS). A de Ribeirão Preto, a DRS XIII, foi classificada na fase dois.

“A nossa região encontra-se hoje na zona alaranjada, o que nos permite reabrir, com restrições, imobiliárias, concessionaras, escritórios, comércio em geral e shoppings centers. Para isso, precisaremos seguir dois pré-requisitos, que são a adesão aos protocolos de testagem e apresentação científica citando fatores locais relacionados ao município”, explicou o chefe do Executivo.

As normas padronizam níveis de distanciamento social, higiene pessoal, limpeza e higienização de ambientes, comunicação e monitoramento das condições de saúde de trabalhadores e estão disponíveis no site https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/planosp. Há diretrizes específicas para cada uma das quatro fases do Plano São Paulo que permitem a retomada gradual e segura da atividade econômica.

Os documentos disponibilizados pelo Estado deverão ser seguidos pelas prefeituras para a formulação dos decretos municipais de flexibilização da quarentena, de acordo com a classificação prevista no Plano São Paulo para 17 regiões distintas a partir do dia 1º de junho.

“Caberá a cada município, por decreto, fixar os horários de funcionamento para cada atividade. Inicialmente, será permitido o atendimento de apenas 20% da capacidade máxima do estabelecimento e, de 15 em 15 dias, se o cenário permitir, liberaremos mais 20%. Com isso, a expectativa é que, até o dia 1º de julho, possamos chegar à quarta fase do plano”, ressaltou.

O Plano São Paulo é composto por cinco fases, sendo a 1ª de alerta máximo, com liberação apenas para serviços essenciais. A fase dois, de controle, é a fase de atenção com eventuais liberações; enquanto a fase três, de flexibilização, é a fase controlada, com maior liberação de atividades. A fase 4, de abertura parcial, é a etapa decrescente, com menores restrições e, por fim, a fase 5, chamada de "normal controlado", é de controle da doença, liberação de todas as atividades com protocolos.

Uma região só poderá passar a um maior relaxamento após 14 dias da mudança de fase, mantendo os indicadores de saúde estáveis por um período completo de incubação. A região também poderá ser reavaliada para fases mais restritas se não atender aos critérios mencionados.

Os critérios de cálculo das fases são baseados em indicadores de taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19; leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19 disponíveis a cada 100 mil habitantes; número de casos; número de internações e número de óbitos.

Confira as fases

•    Fase 1: serviços essenciais.
•    Fase 2 (aberto com restrições): atividades imobiliárias; concessionárias; escritórios; comércio; shopping center.
•    Fase 3 (aberto com restrições): acrescenta bares, restaurantes e similares, e salão de beleza.
•    Fase 4 (aberto com restrições): acrescenta academias.
•    Fase 5 (aberto com restrições): todos os serviços, a não ser transporte e educação, cujo funcionamento será definido pelo Governo do Estado

 

27/05/2020 - Revide 
Foto:  divulgação