Canal:
QUALIDADE DE VIDA

 


TAXA DE OCUPAÇÃO DE UTIs COVID PODERIA SER INFERIOR CASO NÃO HOUVESSE A REDUÇÃO DE LEITOS EM RIBEIRÃO
     . REGIS

    
Os 86,42% de ocupação atual nas UTIs cairia significativamente e ainda atenderia as demais enfermidades

                                

  

 

Nesta segunda-feira (25), às 12 horas, plataforma leitoscovid.com apresenta que nas UTIs covid, dos 162 leitos disponíveis na cidade, 140 estão ocupados (86,42% de ocupação) com 107 pacientes necessitando de respiradores. Enquanto nas enfermarias, das 175 vagas destinadas à covid-19, 127 estão em uso (72,57%) e nenhum paciente necessita de respirador.


situação de ocupação de leitos apresentada pela plataforma leitoscovid.com - 25/01/2021 - às 12h

É importante ressaltar que esta taxa de ocupação poderia ser menor caso não houvesse reduzido a quantidade de leitos, tanto de UTIs como de enfermarias.

Em 11 de agosto de 2020, Ribeirão Preto possuía 239 leitos de UTI covid, ao invés dos 162 atuais, uma diferença de 77 leitos a menos, ou seja, uma redução de 67,68%.  Se mantidos os 239 leitos disponíveis em agosto de 2020, a taxa de ocupação das uteis atual seria de 58,58%.

Nas enfermarias, a situação se repete. Na mesma data de agosto de 2020 eram 272 vagas disponíveis e hoje somente 175 vagas, uma redução de 97 vagas, que representa uma redução de 64,34%.

Considerando os números de leitos disponíveis em agosto de 2020, com os pacientes que atualmente os utilizam, teríamos a seguinte situação:

Os 140 leitos de UTIs covid representariam uma taxa de ocupação de 58,58% e não os atuais 86,42%; Já nas enfermarias, os 127 leitos ocupados, representariam 46,69% de ocupação e não os 72,57% apresentados na presente data.

Como esta disponibilidade de vagas, tanto para UTIs como para enfermarias, já foram registradas na cidade, ou seja, 77 leitos a mais para UTIs e 97 leitos a mais para enfermarias que poderiam estar em uso, a redução da taxa de ocupação pode ser facilmente reduzida, com ampliação parcial do número de leitos disponíveis especificamente para a doença e, ainda, mantendo o atendimento das demais enfermidades.

 


  

25/01/2021 - Equipe MDA
Foto: 
divulgação