Canal:
QUALIDADE DE VIDA

 


APÓS DIA COM MAIOR NÚMERO DE MORTES COM COVID-19 NO ESTADO EM 2021, DORIA FLEXIBILIZA PLANO SP
     . REGIS

    
Governador revogou a medida que colocava todos os municípios na Fase Vermelha do Plano São Paulo após ás 20h e aos finais de semana e feriados, exceto para as regiões que estavam na Fase Vermelha
                                

  

 


Em coletiva concedida nesta quarta-feira (03), no Palácio dos Bandeirantes, o governador revogou a medida que aplicava as medidas restritivas da Fase Vermelha em todo o estado após às 20h e aos finais de semana e feriados, mesmo após ter sido registrado na data de ontem (02), o maior número de mortes diárias de 2021 no estado.

Contudo, a flexibilização será destinada apenas a municípios que estiveram na Fase Laranja, o que não inclui, por enquanto, a região de Ribeirão Preto, que foi rebaixada para a Fase Vermelha.

Segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, as regiões beneficiadas, já a partir deste final de semana, serão: Região Metropolitana de São Paulo, Araçatuba, Araraquara, Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto e Sorocaba.

Mesmo que Ribeirão Preto avance para a Fase Laranja na próxima reclassificação, na sexta-feira, 5, a mudança de fase passaria a valer apenas na segunda-feira, 8. 

Na etapa laranja, academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios podem funcionar por até oito horas diárias, com atendimento presencial limitado a 40% da capacidade, com início às 6h e encerramento às 20h. Os parques também estão liberados nesta fase. 

Em nota, o Estado reforça que nas regiões de Ribeirão Preto, Barretos, Bauru, Franca, Marília  e Taubaté, as restrições da fase vermelha estão mantidas em tempo integral. Todas as seis regiões estão com ocupação hospitalar de pacientes graves com COVID-19 acima de 75%.

Doria acrescentou que o Estado apresentou uma redução de 11% no número de internações em leitos públicos e privados, o que também justifica a flexibilização. “Tivemos, felizmente, queda no número de internações tanto em leitos primários como os de UTI, o que nos permite suspender a decisão de fechamento de atividades econômicas já neste final de semana. Isto, porém, não deve compreender falta de cuidado e de atenção para que as pessoas estejam protegidas, assim como funcionários dos estabelecimentos”, reforçou.

Outro motivo para a flexibilização parcial, de acordo com Paulo Menezes, coordenador do Centro Contingencia do Covid-19 no Estado, foi a estabilização dos novos casos da doença. "Uma estabilização e redução lenta, mas progressiva, dos indicadores da evolução da pandemia no Estado de São Paulo. As regiões que estão na Fase Laranja são as regiões que tem mostrado maior tendência de queda", declarou Menezes.

Expectativa
Um dos principais motivos para o rebaixamento da região de Ribeirão Preto foi a taxa de ocupação de leitos. Contudo, ao longo da última semana, novos leitos foram abertos, o que aumenta a expectativa de que a região avance de fase.

Na data do anúncio do rebaixamento, na última sexta-feira, 29, a taxa de ocupação de leitos de UTI era de 82%, atingindo picos de 90% durante a semana. Nesta quarta-feira, segundo a plataforma LeitosCovid.org, a ocupação está em 77,3%.

A reclassificação do Plano São Paulo está prevista para sexta-feira, 5 com vigência a partir da próxima segunda-feira, 8. De acordo com a classificação atual, 82% da população do estado está na fase laranja, e 18% na etapa vermelha.

 

 


  

03/02/2021 - MDA/Revide
Foto:  Divulgação